A Imperatriz

A Carta do Tarô: A Imperatriz

Na Imperatriz, aparece uma mulher grávida, de cabelos castanhos e volumosos, em pé junto a um belo campo de trigo, no ponto para ser colhido. A suas costas, mais campos férteis e uma cascata que desemboca em um rio.

 

Nesta carta, nos deparamos com a deusa Deméter, ou Ceres, a Mãe Terra, soberana da natureza e protetora das criaturas jovens e indefesas.

Era responsável, na mitologia grega, pelo amadurecimento anual do grão de ouro; ao final do verão, o povo lhe rendia graças pela fartura que o solo havia lhes proporcionado. Também regia os ciclos da natureza e de tudo que fosse vivo. Presidia a gestação e o nascimento da vida, abençoando todos os ritos do matrimonio como meios de perpetuação da natureza.

Deméter é uma deusa matriarcal, a imagem do poder das entranhas da terra, o qual não necessita de nenhum reconhecimento espiritual dos céus. (Sharman-Burke & Greene, 1988).

 

Como vimos na carta anterior, de A Sacerdotisa, Deméter morava com sua filha Perséfone, até que Hades havia a raptado e tornado sua querida filha na Rainha das Trevas. Enfurecida com a separação da filha tão abrupta, não permitiu mais a abundância aos campos, deixando que a terra secasse. E assim seria, o mundo condenado a falta de alimentos. Mas graças à Hermes, Hades e Deméter chegaram a um acordo: durante 9 meses do ano, sua filha Perséfone viveria com a Imperatriz, mas devendo retornar ao marido, nos 3 meses restantes.

A pesar do acordo, nos 3 meses em que sua filha estava ausente, a Mãe Terra chorava e se lamentava. Dessa forma, as flores e folhas caiam e a terra se esfriava, sem produzir nada. E quando Perséfone retornava junto a sua mãe, iniciava-se a primavera.

Significado de A Imperatriz

A água corrente simboliza os sentimentos e a fertilidade de Deméter. Responsável pelos ritos de casamento e bênçãos aos frutos de todas as uniões. A coroa de castelos e torres em sua cabeça significa o seu domínio sobre a construção dos relacionamentos estáveis e também, em relação à estabilidade material. Em seu pescoço, traz um colar de 12 pedras preciosas, que representam os 12 signos do zodíaco.

A Carta de A Imperatriz, representa "a  experiência da maternidade, que não está restrita apenas aos processos de gestação, nascimento e aleitamento; mas também à experiência interior da Grande Mãe. Ou seja: a descoberta do corpo como algo precioso e que requer atenção. Indica uma fase mais ligada às coisas terrenas."(Sharman-Burke & Greene, 1988).

Representa o aspecto criativo, nutriz do feminino. É o arquetípico de abundância, fertilidade e criatividade.

 

Palavras-chave

  • Ação
  • Criatividade
  • Desenvolvimento
  • Vitalidade Feminina
  • Prazer Sexual
  • Abundância, Compaixão, Nutrir
  • Sentir-se Bem com a Vida
  • Viver com Luxúria
  • Extravagância
  • Ganância

 

Na posição "Você Agora"

Indica que você pode ter um instinto maternal muito forte e talvez precise se concentrar em harmonizar os seus relacionamentos.

Pode indicar também, que talvez você precise nutrir seu próprio coração

Também pode indicar que você precise entrar em contato com suas necessidades sexuais, trabalhar essa energia, que também representa a criatividade.

Também pode significar uma gravidez.

 

Na posição "Obstáculo"

Indica que você pode estar representando uma mulher muito autoritária, controladora.

Ou que existe uma figura feminina dominadora, que pode ser alguém do seu trabalho, família ou sua própria mãe.

Também pode indicar sofrimento ao apego e possessividade - indicando que é hora de abrir mão de coisas que não servem mais.

 

Na posição "Futuro"

Indica que conseguirá ter sucesso/crescimento em qualquer objetivo, por mais difícil que seja.

Também significa que você precisa ser criativo para encontrar as soluções, ao invés de esperar que as coisas aconteçam.

Se a pergunta for sobre se irá engravidar, a resposta é sim.

 

 


Referências:

  • Bartlett, Sarah. A Bíblia do Tarô: o guia definitivo das tiragens e do significado dos arcanos maiores e menores. São Paulo: Pensamento: 2011.
  • Sharman-Burke, Juliet; Greene, Liz. O tarô mitológico. São Paulo: Siciliano, 1988.
  • Rodrigues, Maria Celeste. Linha da Vida: o mapa natal do tarot. Rio de Janeiro: Mauad X, 2016.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *