Carnaval e a relação com a Espiritualidade

Carnaval:

Na época do carnaval sentimos uma energia muito densa, pesada que, muitas vezes nos afetam de forma negativa.  Muitos templos, de diferentes religiões e filosofias, optam por manter fechadas suas portas durante a semana em que ocorre o evento.

Estudos mostram que neste período são abertos muitos portais, de forma que, espíritos de todos os tipos e intenções veem para a Terra. Alguns para nos auxiliarem a lidar com toda essa carga energética e mantermos nosso equilíbrio mental, espiritual e físico, mas outros se prevalecem da energia sexual que envolve o carnaval, para vivenciarem seus desejos carnais, através das pessoas encarnadas.

 

A festa

“Para que possamos entender melhor o tema, é necessário que percebamos o seu real significado. A par de todas as movimentações de planejamentos e preparativos, ações e zelo – que denotam certa arte e cultura na apresentação de desfiles com seus carros alegóricos e foliões -, somadas as festividades de matizes diversificados, em que grupos se reúnem para comemorações sem medida, não podemos deixar de reconhecer que o carnaval é uma festa espiritual.

O culto à carne evoca tudo o que desperta materialidade, sensualidade, paixão e gozo. O forte apelo do período que antecede, acompanha e sucede o evento ao deus Mamon guarda íntima relação com o conúbio de energias entre os dois planos da vida, o físico e o extrafísico, alimentado pelos participantes, “vivos de cá e de lá”, que se deleitam em intercâmbio de fluidos materialmente imperceptíveis à maioria dos carnavalescos encarnados.

Vivemos em constante relação de intercâmbio, conectando-nos com os que nos são afins pelos pensamentos, gostos, interesses e ações. Sem que nos apercebamos, somos acompanhados por uma “nuvem de testemunhas”, que retrata nossa situação íntima (FEB).”

 

O Carnaval brasileiro:

“O período do Carnaval brasileiro pode ser considerado sombrio, já que alimenta o psiquismo da promiscuidade, da hiper sexualidade, dos vícios de drogas, álcool. Estimula a profanação no sentido próprio da palavra, gerando grandes ondas de alienação, futilidade, que abastecem a atmosfera extrafísica da terra de um padrão que muitas vezes demora seis meses para ser transmutado. Esse psiquismo promove um rebaixamento no padrão moral e espiritual do país, afetando todo o planeta. No plano espiritual, as zonas umbralinas são abastecidas com fluídos perniciosos, que dão vida a maldade e tornam os homens desavisados cobaias indefesas contra os ataques obsessivos de ordem espiritual. Em resumo, a energia do Carnaval alimenta o umbral, assim como nossos resíduos domésticos alimentam os esgotos e aterros sanitários.

Assim como nossas orações purificam os ambientes, os fluidos densos do carnaval escurecem a aura do nosso país. As festas em geral são regadas a muita bebida, drogas e promiscuidade, que contribuem para a formação de um ambiente desregrado espiritualmente, onde os fluídos mais sutis são desificados. Você pode ser uma pessoa do bem, fazer o bem, pagar suas contas, ajudar ao próximo, mas isso não faz de você um inocente. Se você se entrega a esse estilo de “viver a vida”, inegavelmente estará alimentando o psiquismo que dá força ao astral inferior (Luz da Serra:).”

 

A origem do carnaval:

“Os estudos mostram que é uma festa pagã muito antiga. Mas que somente no ano 590 d.C., o Papa Gregório incorporou o Carnaval ao calendário das festas cristãs. Sabendo que a Quaresma é um período de quarenta dias de jejum e santificação entre a quarta-feira de cinzas e a páscoa, o Carnaval foi oficializado como uma festa que se realiza antes da Quaresma. Devido ao fato de que, no período seguinte, o católico não poderia comer carne, tudo seria consumido nos dias antecedentes, mesmo porque não existiam geladeiras para que pudessem guardá-la. Então, era uma espécie de ‘despedida da carne’. Em latim, a festa era chamada ‘carne vale’, que significa ‘adeus à carne’.

As pessoas comiam carne até vomitar e bebiam até cair. Antes da santificação da Quaresma, as pessoas se entregavam também à liberação geral dos costumes, cometendo todo tipo de atos, principalmente sexuais.

Independente da sua religião, a grande maioria das pessoas acreditam que não somos somente esse corpo, mas temos um espírito que vai além dessa nossa vida terrena. Se reencarnamos ou não, é a concepção de cada um, mas o espírito está vivo de alguma forma em algum tempo ou espaço.

Muitas pessoas morrem e não sabem disso, para quem assistiu ao filme ‘Sexto sentido’, é exatamente aquilo que acontece. Muitos morrem e perdem a ‘Porta da morte’, que é um portal que se abre para o espírito ir para outra dimensão além dessa que vivemos. Outros escolhem ficar por aqui, para auxiliar entes queridos e tem aqueles que não aceitam a morte e querem continuar a terem as vivencias terrenas.

Existem muito mais espíritos na Terra do que pessoas vivas, então estamos nos deparando com eles os tempos todo, a maioria de nós não pode vê-los, mas eles estão em todos os lugares, acreditem ou não.

Muitas religiões e estudiosos afirmam que nessa época do carnaval, abrem-se portais para que espíritos de todas as partes, principalmente os menos conscientes, virem para nossa realidade para se transformarem ou para ‘reviverem’ as experiências terrenas (Francisco)”.

 

E como aproveitar a festa, sem se prejudicar:

Como foi citado acima, espíritos de todos os tipos e intenções veem à Terra, por isso é importante termos consciência disso e ficarmos atentos as nossas vibrações energéticas. Se estamos equilibrados, alegres, não seremos afetados por essas energias densas e/ou negativas, porém, se estivermos com a vibração mais baixa, elas poderão interferir.

 

O conselho é:

Faça o que sentir vontade: se quer aproveitar a festa, então está tudo certo, mas fique atento ao que acontece a sua volta, às energias que o cercam, observe que emoções lhe envolvem. Se proteja espiritualmente e tenha consciência dos seus atos.

Agora, se preferir se recolher e/ou não participar do carnaval, também está tudo certo. De qualquer forma, é necessário ficarmos atentos às energias e procurar nos manter em equilíbrio, dessa forma, não sofreremos as interferências negativas.

 

Abraços e até a próxima,

Isabel Stumpf Mitchell - Tarô Terapêutico, Numerologia, Ervas, Benzimento

(51) 99925.0421 | isabel@isabelmitchell.com.br

⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀


Referências:

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

fourteen − 8 =