Dia dos Mortos Feriado

Imagem: Reprodução/ Filme Festa No Céu

História do Dia dos Mortos

De acordo com o site Significados:

Finados, ou Dia dos Finados é o dia criado para honrar e lembrar as pessoas que já faleceram. Esta homenagem é feita no dia 2 de Novembro.

A palavra finado é um adjetivo que qualifica algo ou alguém que finou, que chegou ao fim, que está morto. Por esse motivo, o Dia de Finados também é conhecido como Dia dos Mortos.

Nesse dia as pessoas vão aos cemitérios levar flores, acender velas e rezar pelos entes queridos que já morreram. No Brasil, o dia de Finados é feriado nacional.

As tradições variam muito de acordo com o país. No México, por exemplo, as celebrações duram 3 dias, as ruas são enfeitadas e são organizados vários desfiles.

O Dia de Finados é comemorado por ordem da Igreja Católica desde o século XI, que no século XIII determinou que esse dia deveria ser celebrado no dia 2 de Novembro.

Diferentes religiões ou denominações da mesma religião abordam este dia de forma diferente, não sendo um dia celebrado pelas pessoas de todas as religiões.

É muito importante para a Igreja Católica, que afirma que no dia de Finados os vivos devem interceder pelas almas que estão no purgatório, esperando a purificação para entrarem no Céu. O protestantismo não acredita na existência do purgatório e não cultiva o hábito de orar por pessoas que já faleceram, e por esse motivo não celebra esta data.

Em inglês, o Dia de Finados é conhecido como All Souls' Day, cuja tradução literal é "Dia de Todas as Almas".

Imagem: reprodução

Conforme Neto, da Unicamp:

O escritor Carlos Fuentes, em seu O espelho enterrado (1992), afirma que a morte é “o grande espetáculo igualitário que dissolve as fronteiras entre o cenário e a plateia, entre o autor e o espectador, entre o que olha e o que é olhado”. No México festivo está presente um conjunto de heranças dos povos mesoamericanos e suas formas de permanência no imaginário coletivo para além do processo de Conquista espanhola, iniciada em 1519, ou mais recentemente dos impactos da globalizada festa do Halloween.

A cultura dos grandes sacrifícios praticado por maias, toltecas e astecas fez surgir a humanidade, segundo as crenças de um sofisticado sistema religioso.  As celebrações e sacrifícios eram vivenciados em meio às incertezas e catástrofes que remontavam aos mitos fundacionais da Mesoamérica. A história de Quetzalcóatl, a serpente emplumada, por exemplo, tinha grande peso na cultura asteca que acreditava que o mundo já havia sido destruído anteriormente e renascera com os sacrifícios feitos pelos deuses; por isso, era necessário a continuidade de sacrifícios pelos humanos, para a preservação da vida.  Na concepção de mundo dos astecas, vida e morte não eram opostas. A ideia de ciclos que se repetiam sinalizava que o sentido do viver não era a morte, mas uma simbiose de regeneração de forças criadoras.

Uma festa, muitas ressignificações

A proximidade com a data católica do dia de todos os santos e com finados não é casual. Entre as várias datas dos antigos calendários dos povos indígenas e a data consolidada das festas, entre 31 de outubro e 2 de novembro, há a visível apropriação da efeméride e dos motivos das celebrações, como ocorre em outros fenômenos do mundo cristão, como por exemplo, no Natal.

Entre os dias 31 de outubro e 2 de novembro, as cerimônias se materializam em altares com as comidas favoritas dos mortos, além de muitas flores e velas. A construção dos altares é fenômeno familiar de rememorações e de alegrias. Segundo a tradição dos locais, os mortos regressam uma vez ao ano para visitar os parentes.  As mesas fartas, os pórticos floridos e as pessoas fantasiadas de caveiras são uma forma de bem recebê-los e de fazer com que eles não se sintam estranhos. As visitas são desejadas e os anfitriões se caracterizam para estar como os visitantes numa verdadeira festa e sem qualquer conotação macabra.

 

É um dia dedicado a celebrarmos quem já se foi, a honrarmos nossos ancestrais e comemorarmos a Vida!

 


Referências:

  • Imagem: Reprodução/ Filme Festa No Céu
  • Neto, José Alves de Freitas.  O México e a festa dos mortos.Unicamp. Disponível em: <https://www.unicamp.br/unicamp/ju/artigos/jose-alves-de-freitas-neto/o-mexico-e-festa-dos-mortos>. Acesso 01 nov 2018.
  • Significados. Significado de Finados. Disponível em: <https://www.significados.com.br/finados/>. Acesso 01 nov 2018.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *